Arquivo para abril \18\UTC 2008

Caso Isabella – parte 1

Music to seek justice: Madonna – 4 Minutes to save the world

 

É… todo mundo tá falando dela, eu também vou falar. Mas eu quero falar de outros pontos, nos quais nem todo mundo está pensando. Sim, é um fato absurdo. Sim, é revoltante. Sim, queremos Justiça. Mas calma lá! O que se percebe da população não é exatamente uma busca por Justiça. O que eu estou vendo é a busca por um bode expiatório, alguém que seja punido, culpado ou não, simplesmente pro caso ficar solucionado.

Analisemos a postura do meu pai (que eu acho que reflete, em termos, a postura geral): segundo ele, os pais da garota deviam ser executados e o juiz desse caso também devia. De acordo com a opinião dele, este se trata de um crime hediondo, e a simples suspeita sobre alguém já devia ser punida com a reclusão desse alguém. Isso já aconteceu um dia. Sabe quando? DURANTE A DITADURA! Todos os direitos fundamentais que todo mundo lutou pra garantir, meu pai quer derrubar por causa de UM caso.

O que estão dizendo sobre a justiça ser muito devagar tem um motivo, galerinha (to falando desse caso em particular). O que o Judiciário está tentando fazer é buscar a verdade REAL do que aconteceu. Não o que PARECE ter acontecido. Já imaginou o que viraria do mundo se todo mundo fosse julgado pelo que PARECE ter acontecido? Deve-se levar em conta que uma condenação muda a vida de uma pessoa, e não deve ser dada a torto e a direito.

Ainda nem se provou que foram mesmo os responsáveis pela menina que a mataram, e todo mundo já sentenciou o casal à pena de morte. Julgaram baseados nas informações que a Rede Globo passou sobre o fato. Peraê, REDE GLOBO? Sabemos que ela não é nenhum exemplo de imparcialidade, não é mesmo, minha gente? Se ficar provado que foram os pais da garota que a mataram, então sim, buscaremos uma punição justa. JUSTA! Não qualquer crueldade que satisfaça aos clamores de sangue da população. Quer sangue, queridinho? Volta em Roma e compra ingresso pro Coliseu. Hoje, eu prefiro acreditar que a sociedade está um pouco mais evoluída.

A questão da punição justa entra em outros fatores: 

  • Um corportamento cruel por parte de um indivíduo dá o direito de se agir cruelmente para com ele?
  • Se A faz mal a B, isto dá o direito do Estado ou da população fazer mal a A?
  • Qual seria a função da pena na sociedade moderna?

Se for a simples retribuição do mal causado, então tá certo matar o autor do homicídio. Olho por olho, dente por dente, né? Mas, quer uma novidade? Esta teoria está superada há 1.500 anos! Eu, particularmente, sou um minimalista penal e defendo a função ressocializante da pena. Isto significa que eu não acredito no sistema penal atual como adequado a nada na sociedade e a pena devia ter o objetivo de readequar o indivíduo ao convívio social. Acredito que todo indivíduo que comete crime tem dois motivos: ou tem problemas mentais ou é uma vítima do sistema social. Pra resolver, ou ele é submetido a tratamento psicológico, ou são realizadas políticas públicas. Reparou que “prisão” e “pena de morte” não entraram na solução do problema?

Enfim, posturas vaguardistas de tratamento ao ser humano…

Anúncios