Archive for the ‘ Preguiça ’ Category

Cidade maravilhosa, cheia de encantos MIL

Algo que eu trouxe de lá: Cake – Hem of your garment

As minhas férias de janeiro foram horríveis. Tá que são férias, e tá que eu fiquei à toa e tá que isso não tem como ser ruim. Mas elas se resumiram basicamente a dormir às 6h (culpa da net), acordar às 13h e ver TV o resto do dia (digamos que, no orkut, meus amigos não escolhem as opções “baladeiros” ou “animadérrimos até em funeral”). Mas houve ao menos uma coisa legal, que merece ser citada: a viagem pra… CURITIBA!

Dia 30 de Dezembro começou o sonho. Nenhum dos três mineiros conhecia a cidade ainda, então vamos nós andar um pouquinho pelas redondezas… pra no fim do dia, descobrir que tínhamos caminhado algo em torno de VINTE QUILÔMETROS! Das 9h até as 17h! Estávamos sem mapa, e andamos só na base das orientações e informações (muito bem dadas, diga-se). Daí quando a gente finalmente pegou um mapa, viu que tinha feito uma estrela pela cidade, basicamente elegendo pontos OPOSTOS pra conhecer!

Pés de Abapuru apaziguados, no outro dia fomos pra praia. Lá estavam a nossa amiga com o marido e duas colegas de trabalho, uma das quais com namorado (gentEEEEE, que homem! Burro que dói, bobo que dói, infanto-juvenil que dói, mas LINDOOOOO que dói muito, só de lembrar). Ficamos por lá cinco dias, dos quais quatro foram de chuvas torrenciais. Além disso, a praia nem era nada demais (pode um mineiro falar um absurdo desses?). Então quê que a gente fez? FICOU EM CASA JOGANDO BURACO! Um puta vício foi o que arrumamos… tanto que, nos raros minutos em que o sol (sonofabitch!) dava as caras, a gente tinha que pensar se ia ou não sair da casa… Deprimente, eu sei. Mas foi o fato concreto.

Depois do quinto dia, cortamos as raízes que nos prendiam ao chão da casa, limpamos o lodo e o mofo que se desenvolveram nas nossas canelas e rumamos de volta a Curitiba.

AMAY:

– o tempo SUPER colaborar (não choveu uma gota enquanto a gente tava exposto na rua!);

– os boys que eu vi (não peguei nenhum… nhá) e que nunca imaginei existir em carne e osso;

– os milhões de pontos turísticos DE VERDADE (ao contrário daqui, que só TENTA ter alguns desses);

– a cidade como um todo, limpa, organizada, bonita, envolvida com a cultura, com habitantes educados (sim, com a gente foram MEGA educados e prestativos. Acho que tava escrito TURISTA em algum lugar da minha roupa)… muito digno e glam!

ODIAY:

– ter que acordar às 7h da madrugada todos os dias da viagem. Imagina: um típico animal noturno, como eu, que preza pelo sono da manhã (que, segundo Seu Madruga, vai até o meio dia… atentem para os conceitos dos especialistas!), ter que acordar às 7h… com menos de 5h de sono por noite (porque dormir cedo também não dava, né?)… Affe, fique três vezes mais sarcástico e o pessoal ainda falava que não conhecia aquele lado meu e perguntava porque eu tava quieto e mal-humorado. Será que eu tinha MESMO que explicar?

– a dor nos pés depois de caminhar 20km diários por 5 dias seguidos;

– as 15h de viagem pra chegar e pra voltar de lá.

Saldo geral:

Eu fiquei SO IN LOVE pela cidade e eu quero porque quero morar lá ano que vem! 😀

Ah, mas eu ainda mato essa vontade!

Anúncios

Chá da tarde

Pra balançar os ombros: Pussycat Dolls – Jai Ho (You are my destiny)

Estava eu vendo Jornal Hoje um dia desses, quando me veio a revelação: eu simplesmente AMO quando o Evaristo Costa e Sandra Annenberg começam a conversar como se estivessem no conforto de seus lares! Vira um papo de comadre comentando as matérias que passam. Confere aqui e aqui dois exemplos desses momentos mara. Longe de ser um ponto negativo, é ótimo ver isso.

Na verdade, eu adoro ver esses momentos espontaneidade, seja em TV, seja no cinema. Aquela expressão de “não acredito que tô falando isso”, um fio de cabelo que voa na boca na hora errada, o movimento não planejado da roupa… tudo isso, eu adoro notar. E, no Jornal Hoje, o clima de amigues que rola no ar é um deleite. Segundo informações, os próprios apresentadores gostam desse clima e fazem questão dele. Fierce! E, além disso, vamos combinar: a Sandra é linda e o Evaristo é um PUTA lasanhão. Imagina esse vozeirão falando qualquer coisa no seu ouvido… Ô, se eu num casava!

Não é mesmo, minha gente?

O programa da Leda Nagle é outro “encontro de amigas”.

Sabe outro? O “Saia Justa”. Agora imagina o que ia virar desse programa se colocasse o time atual mais a Sandra, o Evaristo e a Fatinha (Fátima Bernardes, para os não íntimos) nele! Seria o êxtase! Fica a dica, pessoal do GNT. 😉

E viva o jornalismo descontraído!

Review – Harry Potter e a Ordem da Fênix

 Batendo cabelo com Jzabehl – It’s all about me

 

Harry Potter

É… o filminho do finde foi exatamente esse. Tudo bem, não parece muito ambicioso, mas, no fim das contas, valhe a pena.

Nunca fui fã ardoroso da série, apesar de admitir que esses lances de magia e fantasia sempre me fascinaram bastante (é… eu tenho um livro sobre gnomos até hoje, e ainda dou umas folheadas de vez em quando). E por esse motivo, não animei de ler os livros, mas vi os filmes com prazer.

E é com prazer que eu vejo a evolução deles. Quer dizer, é patente a forma como tudo na trama se desenvolveu desde o primeiro filme. Os personagens são mais profundos, o enredo é mais complexo e, principalmente, não é mais uma história infantil. Alguns inclusive ressaltam o caráter dramático do filme, em detrimento da simples ação. 

Claro que não é uma trama profunda como as obras de Almodóvar, mas traz temas interessantes. Amizade, liberdade, adolescência, conflitos, sentimentos. É um filme que toca todos esses assuntos. Não sei se esse mérito é da escritora ou do diretor, mas sei que a trama foi evoluindo e crescendo junto com o público que angariou em 1997, no lançamento do primeiro livro. Foi uma sacada interessante, porque eu nunca tinha visto nenhum escritor fazer uma série que acompanhasse a compreensão dos leitores, à medida em que eles se desenvolviam. Ou eram séries adultas ou infantis, não havia esse processo de desenvolvimento que J. K. Rowling se utilizou.

O que me intriga é que para o público que acompanha Harry desde a “Pedra Filosofal”, a complexidade de “A Ordem da Fênix” é bastante “digerível”. Afinal, eles esperavam um ano entre um livro e outro. Mas pra uma criança que começa a ler a saga hoje, e que pode ler a série toda em um ano, o quarto ou quinto livros podem ser bastante inapropriados. Então é bom haver uma certa supervisão.

Enfim, não é nada que vá mudar a vida de ninguém. A história é meio lenta, o filme faz muitas referências aos filmes anteriores e quem assiste precisa ter uma certo conhecimento sobre Harry Potter e o que ele já passou, mas os efeitos digitais enchem os olhos. Merece entrar na listinha de “filmes pra alugar”.

É um bom entretenimento.

Descontraindo o ambiente

Sem musiquinha hoje pra não estragar a surpresa.

Vi no blog Crônicas atípicas e adorei a brincadeirinha. Funciona assim (plagiado do blog):

Abra o programa que você usa pra ouvir música e adicione todas elas em uma coleção.

  1. Coloque no modo aleatório (random).
  2. Coloque a primeira linha ou frase das primeiras 50 músicas que tocarem, não importando o quão embaraçoso isso for para você.
  3. Publique no seu site e deixe as pessoas advinharem nos comments
  4. Destaque as músicas que alguém acertar (coloque o nome da banda e da música do lado).
  5. Se você olhar no Google ou em outro site de busca, você é um TRAPACEIRO!

Um, dô, lá, si…. JÁ!

01. There’s a kind of rush all over the world tonight
02. Let’s go to the park
03. You’ve got a way with me
04. So suddenly, so strange
05. You had my heart and we’ll never be words apart – Rihanna – Umbrella
06. Certified quality – Beyoncé – Baby boy
07. You know when you gave your love away
08. In the day, in the night, say it right, say it all – Nelly Furtado – Say it right
09. Now baby come one, don’t claim that love you never let me feel
10. Maybe if I act like that that guy will call me back
11. Vou andando, vou cantando e vivendo feliz
12. I remember when
13. I woke up this morning
14. Everybody line up, the show is about to start
15. I think I did it again – Britney Spears – Oops, I did it again
16. Oh baby, baby, how was I supposed to know – Britney Spears – Baby, one more time
17. Promise me no promises so will I not promise you – Carla Bruni – Promises like piecrust
18. You’re not alone
19. If you could return, don’t let ir burn
20. I hope the ring you gave to her turns her finger green – Kelly Clarkson – Never again
21. Outra vez eu não ouvi tuas palavras
22. I look at you and see
23. You can get it if you really want
24. Wouldn’t it be nice if we were older
25. Under a loving sky
26. Se for ficar sem seu amor, eu piro – Cheiro de Amor – Seu adeus
27. Had a bad day, yeah
28. Quando Deus te desenhou – Amrmandinho – Quando Deus te desenhou

29. No sleep, no sleep until I’m done with finding the answer
30. My friends from high school
31. I made it through the wilderness – Madonna – Like a virgin
32. I’m telling you to loosen up my buttons – Pussycat Dolls – Buttons

33. Two week away, feels like the whole world should’ve changed – Dido – Sand in my shoes

34. Say hello to the girl that I am – Britney Spears – Overprotected

35. Hey Mr. Dj, put a record on – Madonna – Music
36. Fair wether days
37. Round ‘n round carousel
38. Someone is there waiting for my sign
39. Remember when we discover and see
40. Sense is telling me you’re looking
41. I see you winding and grinding up on that pole – Akon – I wanna fuck you

42. Landlord’s knocking on my door
43. When you’re stoned, baby
44. They say I’m crazy – Britney Spears – My prerrogative

45. I’ve been the needle and the thread
46. Saturday morning and it’s time to go
47. Turn up the radio, blast your stereo – BEP – Pump it

48. É iniziato tutto per un tuo capriccio – Tiziano Ferro – Imbranatto

49. Don’t be blind in all the fated life
50. Filling a space, burning a chapter of your life

Caraca… tem música ae que eu não vou lembrar MEESMO! Nem sei o que tá fazendo na minha playlist.. (huahau.. oh eu fazendo a Kátia!). Se alguém mais for aderir à brincadeira, avise que eu quero brincar também! Mas então…

Adivinhou alguma?

Edit: Hauhauahua… adorei ver os acertos!

Papo de facul

Rocking: James Blunt – 1973

Ouvi, sem querer, essa conversa hoje:

A: Nossa… será que a cidade X tem aeroporto?

B: Eu acho que não. X é muito pequena!

A: Ué… e daí?

B: Ué que o avião passa pela cidade, e nem dá tempo de parar!

A: Dâaarrr! É só ele parar e dar a ré, neh?

Depois dessa eu pensei que dormir seria melhor… e foi o que fiz. Eis que, quando acordo, as mesmas duas pessoas estavam conversando.

B: Hum… primeira vez de mulher deve doer, né?

A: Não sei das outras, mas comigo doeu. Acho que foi porque meu hífen(sic) rompeu…

Como isso entra numa faculdade???

Ainda viva.

Ouvindo Gimme more – Britney Spears

Quem diria, hein? A “princezinha do pop” ainda tá podendo! Pois é… contrariando todas as apostas e previsões da Mãe Dinah em contrário, Britney Spears está lançando outro CD. A novidade? O single já estreou em alta nas paradas!

Sou meio suspeito pra falar dessa mulher… porque eu curto ela. Eu sei, eu sei… eu também não entendo o motivo, mas tem músicas dela que falam comigo! Como todos os outros fãs (apesar de não ter poster dela no meu quarto e não ter música dela como ringtone no meu celular, eu sou fã sim!) , eu ficava meio triste de ver tantas coisas erradas que ela fazia… mas sempre soube que, quando ela quisesse, teria tanto sucesso quanto sempre teve. E fiquei satisfeito de ver que, depois de 4 anos de burradas, ela lança um single que já está em 2º lugar no Vagalume, e ela já é a 4ª artista mais acessada no mesmo site. Tá certo que o single não é dos melhores, mas parece que o CD, que sai em novembro, vai ter algumas coisas legais.

Acho que é fácil pra nós, que estamos longe da badalação, criticar os “breakdowns” dos artistas… mas já pensou como deve ser complicado não ter o mínimo de privacidade? Estar sempre rodeado de fotógrafos e pessoas desconhecidas interessadas na sua vida? Ainda mais estar nessa situação desde criança… Vendo por esse lado, eu até compreendo.

É sempre bom ver alguém se reerguer… e to gostando de ver a Britney nessa situação.

 Tomara que dure um tempinho.

Review – O diabo veste prada

Listening to “Jimmy James – Fashionista

Oi, pessoal! Desculpa o sumiço… esse fim de férias e volta às aulas tá meio tumultuado… mas tá normalizando.

Bom… ultimamente, ando lendo muita coisa. Não sei se são exatamente “informativos” ou “culturais”, mas leio. Acho que devem ter uns 5 livros que estão em andamento. Não aguento ler uma coisa só. Parece que é tempo perdido, além de correr o risco de me cansar da leitura. A não ser quando são aqueles livros que prendem de verdade.

O úlltimo que terminei foi “O Diabo veste Prada”. Apesar de já existir o filme, eu achei que o livro também seria interessante. Putz, foi uma ótima surpresa. No livro tem muito mais passagens hilárias do que no filme! Claro que exige uma boa dose de humor negro, mas pra quem tem, o livro é fantástico.

Sem falar que é muito fácil imaginar as cenas chiquérrimas que ela menciona na história! A gente se sente um luxo lendo sobre tantas botas Manolo, vestidos Chanel e echarpes Hermes. Muito bom! Além disso, o estilo Miranda Priestly de viver é hilário! Incrível como ela esbanja falta de educação, exigência e style. Não é nenhum livro que valha à pena reservar horários na agenda lotada pra ler. Mas se você estiver à toa, dá uma chance.

Não vai se arrepender. 😉