Archive for the ‘ Vaidade/Orgulho ’ Category

Quando a deusa veio ao Brasil

Too good to be true: Madonna – Candy Shop Live S$S Tour

Em Dezembro de 2008, às 18h, lá estava eu, à porta do Morumbi, pra ver a MINHA diva. Ela só entrou às 22h, mas tudo bem. O show foi O SHOW. Tipo… tudo, tudo mesmo lindo, mara, perfeito, incrível e inesquecível. Nunca gritei, berrei, cantei, dancei e pulei tão sem parar por duas horas como naquele dia (UM: pensando agora, não sei como meu pai não descobriu que eu era gay naquele dia! DOIS: sim, meu pai foi comigo. Que cara é essa? Não, ele não é gay!).

The Queen!

The Queen!

Foi tudo muito surreal. Primeiro, porque era a Madonna, ali, a 100m de mim (fiquei um pouco longe mesmo…). E, segundo, porque a coisa toda é “muito indescritível”. As coreografias são empolgantes, as músicas são DEMAIS, a iluminação, o palco, ela, os dançarinos… enfim, só vendo pra acreditar. Como diz meu pai, aquilo sim é um SHOW, o resto são tentativas, hehe. Não é melhor do que a Confessions Tour, mas a Sticky and Sweet vale a pena.

E, então, graças ao MOL, vaza o áudio do show! Apesar da voz dela não ser perfeita, apesar dela errar algumas letras, tudo isso não tira nem um pouco o brilho da apresentação. Ouvir essas músicas, ela falando as coisas que ela disse no show, ela chorando ao falar do “fim” da turnê… tudo isso me dá uma alegria enorme de não ter perdido a chance de vê-la. E me deixa quase tão empolgado quanto no dia. Adoro esses transportes de tempo que certas coisas (no caso, o áudio do show no dia que eu fui) proporcionam.

Pensando em vender o corpo pra ir vê-la de novo no exterior…

Onde está Wally?

Swinging with Eric Hutchinson – Rock & Roll

Pra quem já viu BBB alguma vez na vida, ou sabe quem é o Max Porto, que fique claro que eu acho ele lindo, charmoso, stylish, divertido, adoro ele, torço por ele, ovulo quando ele aparece e tenho CERTEZA que vou oferecer casamento quando ele sair da casa. Mas…

É da família.

É da família.

… dá pra negar a semelhança?

Pó pará de procurá, gente… o Wally tá na casa!

PS: Garanta seu tônus abdominal (i. e, barriga tanquinho) com uma visita diária ao Big Bosta Brasil… Mesmo pra quem ODEIA BBB, esse blog é hilário!

Gayer than fiction – pt. 2

Ai, que alegria essa música! : Mamma Mia OST – Super Trouper

Depois do último post, eu fui me reparar melhor e notei ainda outras coisas… Outra mania feminina que eu tenho é a de manter vários assuntos paralelos.

Explico: dia desses eu tava vendo GNT (because I’m fancy) e no programa (não lembro qual) estavam falando sobre DR’s (discussões de relacionamento). Chegaram naquele mesmo ponto em que sempre chegam esses debates (mulheres gostam de DR, homens não gostam). Então a psicóloga especialista deu uma dica pra mulheres engabelarem os seus homens into uma DR.

Primeiro: fazer uma lista das coisas que serão discutidas.

Segundo: exaurir cada tópico antes de passar para o próximo.

Terceiro: deixar ao homem a tarefa de encontrar a solução para o problema que você, a coordenadora da DR, citou.

Enquando a psicóloga falava isso, não pude deixar de imaginar as mulheres tratando com pequenos cachorrinhos de cavar soluções, trazendo um problema de cada vez, mantendo tudo bem simples e fácil ao entendimento para que a cabeça deles não se embaralhe. Hilarious!

Depois a tal psicóloga ainda falou outra coisa (a coisa que fez meu mundo parar): segundo ela, mulheres têm o hábito de iniciar vários assuntos simultâneos e discutem sobre eles aleatoriamente, sem manter uma linha única de pensamento mas, ainda assim, sem perder o sentido da conversa. MEODEOS! Eu faço isso! E eu e minhas amigas já rimos sobre esse fato… e nós nos achávamos super poderosos por conseguir fazer algo que é tão difícil (conseguir captar o momento exato em que o assunto está sendo mudado SEM ter que avisar isso).

Daí vem a mulher e diz que isso é coisa de mulherzinha! Nhá!

Eu fiquei triste depois dessa…

Gayer than fiction

Som “heterolizante”… Será?: Carla Bruni – Le temps perdue

 

Vocês já se surpreenderam com algum aspecto da sua personalidade? Pois é… tem horas que eu páro pra me reparar e descubro que eu sou mais gay do que acreditava ser possível.

Por exemplo 1: ontem eu vi o novo clipe da Britney e quase tive um orgasmo. Eu tento.. tento mesmo não gostar daquelazinha, mas eu acho ela demais (profissionalmente, que fique claro!). A coreografia, a letra (tosca, eu sei, mas é puro girl power), a produção do vídeo, o ator!… Affe, desce mais um grau na escada florida.

Por exemplo 2: óbvio que eu vou no show da Madge (se bem que eu tive as minhas dúvidas quando meu pai começou a ratear…). É, vou com meu pai. Quando contei isso pros meus amigos, eles raxaram de rir… eu só fui entender dias later, quando me caiu a ficha de que neste show vai ter mais gays do que a parada do Rio E de São Paulo juntas! Como eu vou me comportar? Ish, só na hora pra saber. Outro passo rumo ao Poço das Rosas…

(Só uma coisinha: todo mundo sabe que a voz da Madonna não é nada Marisa Monte, mas na Confessions Tour ela até conseguia manter o tom e a afinação num nível aceitável. De todos os vídeos que eu vi até agora da Sticky and Sweet, não tem UM que ela não perde a linha! Medo, muito medo do que vou escutar nesse show…)

Por exemplo 3: eu vi o filme Mamma Mia! (Mais um degrau…). Eu GOSTEI do filme (outro degrau…). Eu cheguei em casa e baixei a trilha sonora do filme e ouço ela incessantemente e canto todas as músicas (mais 3 degraus!). É, eu canto “Gimme, gimme, gimme a man after midnight” em alto e bom som com a família toda por perto! :O

Sem mencionar Offer Nissim (incluindo Be my boyfriend), Altar, PCD, Sex and the City, Christina Aguilera e muitos outros degraus na escadinha… 😦

Percebem que daqui a muito pouco tempo, eu estarei mais flor do que o Carson de Queer Eye for the Straight Guy?

À parte: O novo álbum da Carla Bruni tá fabuloso! A música do post é só pra dar o gostinho, o resto todo vale a pena!

“Fabuloso”? Tá vendo o nível que eu cheguei?

Osso duro de roer

Swinging to Madonna – What it feels like for a girl

OBA!!! A gatíssima do Lindo Sorriso me presenteou com o super hiper mega desejado prêmio BLOG DE ELITE! haha… olhe e deseje, queridos! hauhauahu

Agora eu conto pro criador do prêmio, o Putsgrilo, pra quem eu repasso o selo. The Oscar goes to:

1 – As sempre lindas, fofas e glamurosas Bia e Lily, de A vida não presta mesmo, que escrevem um dos blogs que eu mais leio e adoro de todos.

2 – As gatas pensantes do Palpite!ras de plantão, onde sempre tem algo interessante e informativo pra gnt aprender.

3 – Minha guerreira, sempre pronta pra exterminar qualquer carinha menos digno que aparece pelo caminho, Bibi, do Solteiras do Rio de Janeiro, com o supra-sumo do humor brasileiro.

4 – Queer closet, porque nem todo gay é de ferro, néam?

5 – E o toque masculino como cereja do bolo: Surfista Platinado, com as histórias mais hilárias que um ser humano por ter.

Claro que ficou muita gente BOA de fora… mas com mais prêmios, a gnt vai distribuindo mais louros, neh? hehe

Aproveitemos nossos selos!

Senso de ridículo

Shaking up to Britney Spears – Get naked (I got a plan)

Eu estava assistindo o programa “Saia Justa” da GNT, e elas estavam discutindo sobre o nível de observação dos brasileiros. Eu não sei como funciona em outros países, mas eu sei que aqui no Brasil, realmente a gente repara… e MUITO!

Agora… se as pessoas já sabem que a gente repara, porquê não se prevenir? Quer dizer… é uma discussão complicada, porque, na real, não deveríamos nos preocupar com o que os outros pensam. Mas será que um mínimo de senso de ridículo não faria bem a algumas pessoas?

Por exemplo: não há mal algum em ser um pouquinho acima do peso. Longe de mim impor qualquer estereótipo de beleza a quem quer que seja. Mas, uma vez que você tem consciência de que não está com o corpo à altura de Jennifer Aniston, será que tem que andar de top e “saia cinto” na rua?

Jennifer

Fico “in shock” com a quantidade de gordinhas que saem de casa mostrando com orgulho seus quilos extras. Auto-estima é muito importante, mas quando fere olhos alheios já tá invadindo território proibido, né? Aquela coisa toda escapando por entre os vãos do tecido… OMG!

Vide Britney Spears. Será que ninguém contou pra ela que usar roupas É uma opção? Um erro no VMA, tudo bem. Mas fazer um clipe errando no mesmo ponto? Putz… completa falta de noção! “Querida! Quando você tiver o corpo de 4 anos atrás, a gente tira sua roupa com todo o prazer. Mas até lá, que tal usar uma blusinha? Tem umas tão bonitinhas! Se o corpo não voltar? Bem… não há mal algum em cantar ‘ad eternum’ vestida. Ok, bee?”

Britney Spears

Fica o apelo por um pouco menos de poluição visual.

Details

Ouvindo Madonna – Frozen

Quando a gente ouve que deve ser bom, caridoso e prestativo ao próximo, geralmente pensa logo em coisas grandes, como ajudar em asilos/creches, visitar periferias e muitas outras coisas que parecem difíceis e que exigem grandes sacrifícios. Mas a coisa não funciona assim. Quer dizer: desde que ainda não desenvolvemos essa capacidade de amar o outro incondicionalmente, são pequenos gestos que vão nos levar a essa aplicação mais ampla de sentimento.

Um exemplo desse pequeno gesto é o olhar. Muito se fala no poder do olhar, mas nem todo mundo compreende esse ditado. Existe olhar de desprezo, de indiferença, de raiva, mas quanto a isso as pessoas geralmente estão atentas. Mas você já pensou que o simples olhar para alguém pode significar muito? Quando você olha, está inconscientemente (ou não) dando relevância para aquele objeto (ou pessoa). E algumas vezes, é essa sensação que a pessoa que nos procura está buscando: sentir-se incluída e percebida. E isso se faz pelo olhar.

Dá pra perceber isso quando estamos lendo ou na frente do computador. Quantas vezes alguém fala com você, e você ouve, responde, mas não olha? Nisso você diz, mesmo sem querer, que “aquilo que está fazendo no momento é mais importante do que perceber quem fala com você”. É com os ouvidos que a gente escuta, mas é com os olhos que a gente dá importância.

E pode ser que só isso seja suficiente.