Gayer than fiction – pt. 2

Ai, que alegria essa música! : Mamma Mia OST – Super Trouper

Depois do último post, eu fui me reparar melhor e notei ainda outras coisas… Outra mania feminina que eu tenho é a de manter vários assuntos paralelos.

Explico: dia desses eu tava vendo GNT (because I’m fancy) e no programa (não lembro qual) estavam falando sobre DR’s (discussões de relacionamento). Chegaram naquele mesmo ponto em que sempre chegam esses debates (mulheres gostam de DR, homens não gostam). Então a psicóloga especialista deu uma dica pra mulheres engabelarem os seus homens into uma DR.

Primeiro: fazer uma lista das coisas que serão discutidas.

Segundo: exaurir cada tópico antes de passar para o próximo.

Terceiro: deixar ao homem a tarefa de encontrar a solução para o problema que você, a coordenadora da DR, citou.

Enquando a psicóloga falava isso, não pude deixar de imaginar as mulheres tratando com pequenos cachorrinhos de cavar soluções, trazendo um problema de cada vez, mantendo tudo bem simples e fácil ao entendimento para que a cabeça deles não se embaralhe. Hilarious!

Depois a tal psicóloga ainda falou outra coisa (a coisa que fez meu mundo parar): segundo ela, mulheres têm o hábito de iniciar vários assuntos simultâneos e discutem sobre eles aleatoriamente, sem manter uma linha única de pensamento mas, ainda assim, sem perder o sentido da conversa. MEODEOS! Eu faço isso! E eu e minhas amigas já rimos sobre esse fato… e nós nos achávamos super poderosos por conseguir fazer algo que é tão difícil (conseguir captar o momento exato em que o assunto está sendo mudado SEM ter que avisar isso).

Daí vem a mulher e diz que isso é coisa de mulherzinha! Nhá!

Eu fiquei triste depois dessa…

Anúncios

Gayer than fiction

Som “heterolizante”… Será?: Carla Bruni – Le temps perdue

 

Vocês já se surpreenderam com algum aspecto da sua personalidade? Pois é… tem horas que eu páro pra me reparar e descubro que eu sou mais gay do que acreditava ser possível.

Por exemplo 1: ontem eu vi o novo clipe da Britney e quase tive um orgasmo. Eu tento.. tento mesmo não gostar daquelazinha, mas eu acho ela demais (profissionalmente, que fique claro!). A coreografia, a letra (tosca, eu sei, mas é puro girl power), a produção do vídeo, o ator!… Affe, desce mais um grau na escada florida.

Por exemplo 2: óbvio que eu vou no show da Madge (se bem que eu tive as minhas dúvidas quando meu pai começou a ratear…). É, vou com meu pai. Quando contei isso pros meus amigos, eles raxaram de rir… eu só fui entender dias later, quando me caiu a ficha de que neste show vai ter mais gays do que a parada do Rio E de São Paulo juntas! Como eu vou me comportar? Ish, só na hora pra saber. Outro passo rumo ao Poço das Rosas…

(Só uma coisinha: todo mundo sabe que a voz da Madonna não é nada Marisa Monte, mas na Confessions Tour ela até conseguia manter o tom e a afinação num nível aceitável. De todos os vídeos que eu vi até agora da Sticky and Sweet, não tem UM que ela não perde a linha! Medo, muito medo do que vou escutar nesse show…)

Por exemplo 3: eu vi o filme Mamma Mia! (Mais um degrau…). Eu GOSTEI do filme (outro degrau…). Eu cheguei em casa e baixei a trilha sonora do filme e ouço ela incessantemente e canto todas as músicas (mais 3 degraus!). É, eu canto “Gimme, gimme, gimme a man after midnight” em alto e bom som com a família toda por perto! :O

Sem mencionar Offer Nissim (incluindo Be my boyfriend), Altar, PCD, Sex and the City, Christina Aguilera e muitos outros degraus na escadinha… 😦

Percebem que daqui a muito pouco tempo, eu estarei mais flor do que o Carson de Queer Eye for the Straight Guy?

À parte: O novo álbum da Carla Bruni tá fabuloso! A música do post é só pra dar o gostinho, o resto todo vale a pena!

“Fabuloso”? Tá vendo o nível que eu cheguei?

Post “transa de homem”

Trilha do sexo selvagem: Duffy – Warwick Avenue

 

Primeira coisa: NÃO! Eu não abandonei/desisti do blog! É que estou fazendo um “ano sabático” daqui, pra buscar inspiração e largar a preguiça. Os posts virão mais espaçados, mas continuarão vindo.   🙂

*****

Tirei o nome do post do PRIMEIRÍSSIMO episódio de “Sex and the city” (é, 10 anos de atraso, eu sei), que fala algo sobre isso. Achei o máximo ver as meninas começando a se integrar na personagem… sem contar na IMENSA diferença do que elas estão hoje, né? Muito bom. (Só pra constar, a Samantha é a melhor!)

*****

Hoje eu vi, mais uma vez, o filme “Le Fabuleux Destin d’Amelie Poulain”. Quem ainda não viu, vai se fuder! Hehe, brincadeirinha… É muito lindo e fofo esse filme, daquele tipo que você fica até mais leve depois que vê. É romântico sem ser meloso. Tem cada detalhe, cada cena, cada sacada do diretor que me deixa bobo. Não vá se iludindo: não tem nada mirabolante/revolucionário/tecnológico não! Mas é a simplicidade que faz a mágica toda no filme. E a trilha merece aplauso de pé, porque é DEMAIS!

Outro filme que eu revi há pouco tempo, e nem me lembrava de quão lindo era, foi “Chocolat” (aquele com a Juliette Binoche e o Johnny Depp). A trilha desse também é incrível de perfeita e a fotografia é impecável. Outro em que “less is more”. Adoro essas visões diferentes dos padrões hollywoodianos…

*****

A música “Give it 2 me” da Madonna, é tudo de bom. Batida boa do caralho! Destaque pro remix do Paul Oakendorf… esse presta!

*****

Sabe quem mais é boa pra caralho? A Duffy! Hehe… Destaque pra música que embala esse post e pra outra dela, chamada “Tomorrow”. Procure ouvir, SÉRIO!

*****

Meu Deus! A Dercy morreu! Minha única certeza era de que a Dercy Gonçalves, a Hebe Camargo, o Cid Moreira e o Russo formavam o quarteto fantástico que testemunhou o Big Bang e ainda estaria entre nós quando tudo isso acabasse… agora que ela morreu, minha vida perdeu o rumo!!!

*****

ADORO: gente que vem aqui no blog pra me xingar. Hehe, é hilário, né não? O ser humano perde o seu precioso tempo pra vir aqui, me denegrir? Só rindo mesmo…

ODEIO: quando o Du tá afim de A, e A acha o Du feio. Affe, é um saco! E ficar fazendo “a difícil” no msn é um puta exercício de auto-controle. Odeio, odeio, odeio. Caralho! (nossa, que post mais cheio de palavrão! Acho que a Dercy desceu aqui… nhá!)

*****

Já parou pra pensar que “parar o tempo” e “ser invisível” é mais impossível do que a gente imagina?

Give me a record… and I’ll brake it! Hasta la otra inspiración!

Caso Isabella – parte 1

Music to seek justice: Madonna – 4 Minutes to save the world

 

É… todo mundo tá falando dela, eu também vou falar. Mas eu quero falar de outros pontos, nos quais nem todo mundo está pensando. Sim, é um fato absurdo. Sim, é revoltante. Sim, queremos Justiça. Mas calma lá! O que se percebe da população não é exatamente uma busca por Justiça. O que eu estou vendo é a busca por um bode expiatório, alguém que seja punido, culpado ou não, simplesmente pro caso ficar solucionado.

Analisemos a postura do meu pai (que eu acho que reflete, em termos, a postura geral): segundo ele, os pais da garota deviam ser executados e o juiz desse caso também devia. De acordo com a opinião dele, este se trata de um crime hediondo, e a simples suspeita sobre alguém já devia ser punida com a reclusão desse alguém. Isso já aconteceu um dia. Sabe quando? DURANTE A DITADURA! Todos os direitos fundamentais que todo mundo lutou pra garantir, meu pai quer derrubar por causa de UM caso.

O que estão dizendo sobre a justiça ser muito devagar tem um motivo, galerinha (to falando desse caso em particular). O que o Judiciário está tentando fazer é buscar a verdade REAL do que aconteceu. Não o que PARECE ter acontecido. Já imaginou o que viraria do mundo se todo mundo fosse julgado pelo que PARECE ter acontecido? Deve-se levar em conta que uma condenação muda a vida de uma pessoa, e não deve ser dada a torto e a direito.

Ainda nem se provou que foram mesmo os responsáveis pela menina que a mataram, e todo mundo já sentenciou o casal à pena de morte. Julgaram baseados nas informações que a Rede Globo passou sobre o fato. Peraê, REDE GLOBO? Sabemos que ela não é nenhum exemplo de imparcialidade, não é mesmo, minha gente? Se ficar provado que foram os pais da garota que a mataram, então sim, buscaremos uma punição justa. JUSTA! Não qualquer crueldade que satisfaça aos clamores de sangue da população. Quer sangue, queridinho? Volta em Roma e compra ingresso pro Coliseu. Hoje, eu prefiro acreditar que a sociedade está um pouco mais evoluída.

A questão da punição justa entra em outros fatores: 

  • Um corportamento cruel por parte de um indivíduo dá o direito de se agir cruelmente para com ele?
  • Se A faz mal a B, isto dá o direito do Estado ou da população fazer mal a A?
  • Qual seria a função da pena na sociedade moderna?

Se for a simples retribuição do mal causado, então tá certo matar o autor do homicídio. Olho por olho, dente por dente, né? Mas, quer uma novidade? Esta teoria está superada há 1.500 anos! Eu, particularmente, sou um minimalista penal e defendo a função ressocializante da pena. Isto significa que eu não acredito no sistema penal atual como adequado a nada na sociedade e a pena devia ter o objetivo de readequar o indivíduo ao convívio social. Acredito que todo indivíduo que comete crime tem dois motivos: ou tem problemas mentais ou é uma vítima do sistema social. Pra resolver, ou ele é submetido a tratamento psicológico, ou são realizadas políticas públicas. Reparou que “prisão” e “pena de morte” não entraram na solução do problema?

Enfim, posturas vaguardistas de tratamento ao ser humano…

What’s your age again?

 Curtindo Madonna – Gone

Os psicólogos gostam de classificar as gerações de pessoas. Já houveram os “baby-boomers“, a “geração X” e várias outras. O meu palpite para a nossa classificação (pessoas de 15 a 25 anos) é “geração exagero”. Acho que nunca esteve tão em voga o excesso na vida de ninguém como hoje.

Nós somos extremamente “desejosos” do excesso. O conceito de “suficiente” já não nos é suficiente mais e isso não pode estar certo. Queremos sempre mais que o outro… mais do que nós mesmos podemos suportar. E somos exagerados em todos os aspectos da vida. Talvez por querer tanto, sejamos tão frustrados.

Será que a festa só tem graça quando a gente sai carregado de tão bêbado? Será que a gente precisa mesmo transar 365 dias e ter 360 parceiros diferentes por ano? Será que a gente precisa de todo o dinheiro que a gente deseja? Quantas cirurgias plásticas a gente precisa pra ficar satisfeito? E a lista de exageros continua interminável.

Essa coisa de querer sempre mais me lembra um certo tipo de pessoa. Sabe qual? Um viciado. Não são os viciados que nunca estão satisfeitos e querem sempre mais? Pois é isso que nós somos: uma geração de viciados. Seja em sexo, dinheiro, afeto, somos um bando de viciados na insatisfação.

Será que existe reabilitação pra tanta gente?

Alma gêmea

Curtindo KT Tunstall – Saving my face

Se tem uma teoria que eu coloco na categoria de “atrasantes da vida” é essa idéia de alma-gêmea. Tudo bem que existem pessoas que dão hiper certo com a gente, mas nem por isso elas são mais ou menos adequadas pra um relacionamento.

O erro da idéia começa quando a pessoa se coloca o rótulo de “metade”. Metade da laranja, tampa da panela, enfim, todos esses conceitos que passam uma idéia de incompletude. MAS VOCÊ NÃO É INCOMPLETO! Cada um tem tudo que precisa pra viver em si mesmo, e pensar algo em contrário só atrapalha a vida. Ouvi uma professora minha defendendo essa tese: “A gente não precisa buscar um complemento, porque a gente já é inteiro. O que é legal é buscar um suplemento.” E acho que é por aí mesmo.

Primeiro que se convencer de que falta uma parte em você não pode ser muito saudável psicologicamente… né? Segundo que se joga uma responsabilidade muito grande no outro. Alguém ter que completar alguém é uma tarefa meio difícil, senão impossível!

Relacionamentos funcionam pelo esforço dos dois que estão envolvidos, e não simplesmente porque um tem ou não tem alguma característica. Desse jeito, alma gêmea seria aquela pessoa com a qual você teria que se esforçar menos para conviver, ou seja, aquela que estimularia mais o seu comodismo. Tá errado, people!

Além disso, grandes chances de crescimento são jogadas fora simplesmente porque um dos dois julga que o outro não é sua alma-gêmea. Oras… quanto mais diferente, maiores as possibilidades de você sair com algo mais dessa relação., né?

E com tanta gente por aí, será que só uma é a perfeita, ideal?

Vamos abrir as cabecinhas pra vida fluir mais gostosa.

Osso duro de roer

Swinging to Madonna – What it feels like for a girl

OBA!!! A gatíssima do Lindo Sorriso me presenteou com o super hiper mega desejado prêmio BLOG DE ELITE! haha… olhe e deseje, queridos! hauhauahu

Agora eu conto pro criador do prêmio, o Putsgrilo, pra quem eu repasso o selo. The Oscar goes to:

1 – As sempre lindas, fofas e glamurosas Bia e Lily, de A vida não presta mesmo, que escrevem um dos blogs que eu mais leio e adoro de todos.

2 – As gatas pensantes do Palpite!ras de plantão, onde sempre tem algo interessante e informativo pra gnt aprender.

3 – Minha guerreira, sempre pronta pra exterminar qualquer carinha menos digno que aparece pelo caminho, Bibi, do Solteiras do Rio de Janeiro, com o supra-sumo do humor brasileiro.

4 – Queer closet, porque nem todo gay é de ferro, néam?

5 – E o toque masculino como cereja do bolo: Surfista Platinado, com as histórias mais hilárias que um ser humano por ter.

Claro que ficou muita gente BOA de fora… mas com mais prêmios, a gnt vai distribuindo mais louros, neh? hehe

Aproveitemos nossos selos!